A equipa dinamizadora da Biblioteca Escolar da Tomás de Borba irá promover uma palestra sobre a poesia de Eugénio de Andrade, no dia 25 de Fevereiro pelas 09h55m no auditório da escola. A Professora Ana Lúcia Almeida irá falar para as turmas do 12º ano sobre a obra poética de Eugénio de Andrade.

Autor de uma obra poética luminosa e musical, com poemas de poucos versos, Eugénio de Andrade continua a encantar diferentes gerações de leitores.

Para Ana Lúcia Almeida, poetas são aqueles que sentem mais e dizem melhor. Há-os que ficam nossos, quando uma e outra vez nos surgem as suas palavras, definindo o que de momento nos encanta, tolhe ou atormenta e, nomeando o real, o clarificam. Eugénio de Andrade é, desde cedo, desde muito cedo, o poeta de Ana Lúcia. Lembra-se do primeiro poema que leu dele e nunca sente o odor das frésias sem tornar sua a saudade da “Pequena Elegia de Setembro”. Do mesmo modo quando ouve os lhos rir sabe que é aquela “a pura ressonância da alegria”. É sempre com as suas palavras que ama, porque tudo nos dói quando muito se quer, e como ele acredita que “as mãos são o mais belo sinal da terra” e nada é pior do que morrer com um “coração inacabado”.